Cuidados na hora de substituir a bateria

Se você possui um veículo com mais de 4 anos de fabricação, certamente já teve que trocar a sua bateria ou está em vias de. Geralmente, a dúvida mais mais comum é: Qual bateria escolher para substituir a que está com problema? Bom, no mínimo deve-se escolher uma bateria de capacidade equivalente a que veio originalmente de fábrica, porém, alguns carros permitem upgrade (troca por bateria de maior capacidade), o que não é uma má ideia, tendo em vista que em algumas situações, a diferença de preço vs a bateria de capacidade original quase não existe.

Recomendamos alguns cuidados na hora de escolher a nova bateria:

  • Solicite um teste de alternador para se certificar de que o problema está realmente na bateria (e também se assegurar de que a nova bateria receberá a carga necessária para prolongar sua vida útil).
  • Escolha marcas de primeira linha, como: Moura, Heliar, AC Delco e Bosch (existem muitas baterias de segunda linha no mercado, porém,  o “barato” pode sair caro se o padrão de qualidade dessas outras marcas não for inspecionado pelos órgãos competentes).
  • Não utilize baterias de capacidade inferior vs a recomendada pela montadora. O sistema elétrico do seu carro foi projetado para ter um consumo X de energia. Utilizar uma bateria de menor capacidade pode não atender ao projeto elétrico e resultar em problemas como: Deficiência na partida, mal funcionamento de módulos eletrônicos e sensores, descarga precoce da bateria, etc.
  • Se seu carro possui tecnologia Start/Stop (que desliga o carro ao parar no trânsito ou semáforo), certamente utiliza bateria com tecnologia AGM. Não utilize baterias tradicionais para substituir uma bateria AGM. A corrente de partida (CCA) de uma bateria tradicional é em média 60% menor que a de uma bateria AGM e não atende a necessidade de um veículo que possui essa tecnologia (além de outras incompatibilidades como tempo de recarga, etc).

Esse artigo foi útil?

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário