Procedimento técnico – Motor fraco / sem potência

Verificação mecânica:

1) Examine o sincronismo mecânico do motor (ponto).

2) Examine o estado físico do motor (compressão, vazamento de cilindros com o motor frio).

3) Examine o eixo do comando de válvulas gasto, aplicação invertida ou de outro veículo, válvulas presas, etc).

Cuidado com a aplicação incorreta das válvulas, pois existem diferenças no comprimento da haste, fazendo com que os tuchos não fecham totalmente as válvulas, gerando tempo de injeção alto e vácuo do motor baixo.

4) Examine o sistema de exaustão e catalisador com restrições.

5) Examine se não há restrições na tomada de ar para o TBI (forração interna do capô do motor solta, filtro de ar com restrições ou saturado).

6) Examine o sistema de aquecimento do coletor de admissão (circulação de água).

7) Monitore o funcionamento da válvula termostática, bem como a sua aplicação correta.

8) Motor falha em baixa RPM: Examine incrustações ou carbonização do coletor de admissão, cabeçote e corpo de borboletas.

9) Examine o sistema de BLOW-BY, pois, se o mesmo estiver entupido, o motor perderá rendimento, como também seu consumo de óleo será elevado.

10) Cuidado com a aplicação correta da bomba de óleo, pois, o sensor de PMS em certos veículos está preso no seu suporte.

Verificação elétrica:

1) Examine o sistema de ATERRAMENTOS em geral.

2) Examine o sistema de CARGA & PARTIDA.

3) Examine QUEDAS DE TENSÃO com os consumidores ativos (faróis, pisca alerta e ar condicionado).

Verificação na linha de combustível:

1) Examine a idoneidade do combustível e abastecimento incorreto (álcool X gasolina).

2) Examine a pressão e vazão do sistema de combustível.

Verificação do sistema de injeção:

1) Examine a vazão das válvulas injetoras, bem como a aplicação correta das mesmas.

2) Examine a correta aplicação da unidade de comando ECM.

3) Examine os sensores responsáveis pela carga do motor: MAP, LMM e medidor mássico.

4) Examine a resposta do sensor TPS.

Cuidado com a inversão dos sensores TPS (sentido de rotação).

5) Examine o sensor de PMS e tudo o que estiver relacionado ao seu correto funcionamento.

6) Examine o correto funcionamento do sensor MAP/MAF.

7) Válvula injetora com alteração da sua resistência ôhmica, a mesma deixa de funcionar deverá ser medida a sua resistência a quente.

8) Examine o correto funcionamento do sistema SPOUT. Resistência elevada no contato em seu conector, oxidação nos terminais (com o mesmo ligado deverá chegar sinal de massa ao respectivo pino da ECM.

9) Examine o correto funcionamento do sensor de detonação. Submeta o motor com carga e observe se o avanço da ignição está operando corretamente, caso contrário, solte e reaperte o sensor de detonação com um torque em torno de 300 gramas.

10) Examine a aplicação correta do conjunto de corpo de borboletas (se não foram efetuadas alterações).

11) Examine o correto funcionamento da sonda de oxigênio, pois, uma sonda com resposta lenta fará aparecer essa falha.

12) Cuidado em veículos equipados com sensor de FASE de 03 fios (motores VW EA 111 e 113).

Examine o sinal do sensor de PMS, pois, nesse sistema o motor pega mesmo na ausência desse sinal, porém, custa mais para pegar e perde potência.

Cuidado com a entrada de água através dos conectores, começando pelo conector ligado na ECM e nos conectores dos chicotes em geral.

13) Válvula EGR com defeito, pois, ela atrasa o ponto e a mistura ar/combustível se torna muito pobre.

Outras verificações:

DEVERÃO SER OBSERVADOS TODOS OS TIPOS DE DEFEITOS RELACIONADOS COM OS SENSORES DE PMS E FASE.

 

Esse artigo foi útil?

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário